segunda-feira, 31 de março de 2008

Zé Rodrix Brilha em Santos

Zé literalmente brilhando no palco do SESC Santos: um preview do DVD!


O filme mostra a entrada triunfal do Mestre e seu manto prateado, em um "moonwalk" perfeito ( que lastimavelmente esse filme não mostre em detalhes!)!

terça-feira, 25 de março de 2008

Show/gravação CD/DVD ao Vivo AS CANÇÕES de Zé Rodrix ( solo)


Agora é só expectativa: esse será o primeiro de uma série de shows históricos do Trio: primeiro DVD solo, primeiro CD solo após anos, até parece que é o meu primeiro show tb!
Os ingressos já estão quase acabando, um sucesso!!!
Vamos aguardar que as surpresas nos tragam um momento tão lindo quanto a recriação do Momento4uatro na gravação do DVD do Ricardo Vilas, passando pelo Som Imaginário com o Tavito, culminando no Caiuby com o Sonekka e apresentando a nova geração com a Bárbara Rodrix!

Todos lá !!!!

Zé Rodrix e o Paraíso Agora!



SERVIÇO:
AS CANÇÕES , com Zé Rodrix
dias 28 ( sexta) e 29 ( sábado) de março, às 21 hrs.

SESC SANTOS
R. Conselheiro Ribas, 136 - Aparecida - Santos - SP
Tel: (13) 3227-5252

Ingressos disponíveis em qq unidade SESC do Estado de SP

Preços:

R$ 20,00 [inteira]
R$ 10,00[usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino]
R$ 5,00[trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes




















Entrevista com o Zé Rodrix sobre o DVD AS CANÇÕES:





quarta-feira, 19 de março de 2008

Detalhes sobre o Tour 14 BIS / Venturini / Sá, Rodrix & Guarabyra

Mensagem do VERMELHO ( 14 BIS):

14 bis, Flavio e Sa nos jornais de BH - 18-3-8 #
Os jornais Hoje em dia e O Tempo, de BH, edicao de 18-3-8 trouxeram materia de capa do caderno cultural, com fotos e reportagem sobre nossa entrevista.
Estavam presentes Claudio e Vermelho (14 Bis), Flavio Venturini (tambem ne?) e Sa (Sa, Rodrix e Guarabira). Otimas materias, escritas por jornalistas jovens mas antenadas e com um bom texto: fotos idem. O Estado de Minas nao publicou nada - talvez vai faze-lo mais proximo da data do show, 30 de maio no Chevrolet Hall.
Para quem nao leu - ou nao e' de BH - sera a 1a vez que estes artistas vao se apresentar juntos num mesmo palco. Ninguem sabe dizer porque nao aconteceu antes, ja que suas carreiras sao entrelacadas: ja tocaram e gravaram juntos, teem varias parceirias (Cacador de Mim, Espanhola, Criaturas da noite e muitas outras), sem falar que sao ou foram parte de de uma mesma banda (14 Bis e Terco).
Possivelmente, dependendo do que rolar nesse - principalmente o sucesso de publico, claro - o show podera ser apresentado em outras capitais. Vamos torcer para que aconteca! Fiquem ligados no site do 14 bis - nao sei se o antigo www.14bis.com.br ou o novo, todo remodelado e cheio de surpresas, comecando com a instrumental de abertura... Chapante!!
Abs
Vermelho





A MATÉRIA

Sá, Rodrix, Guarabyra e 14 Bis, juntos

Inédita turnê nacional que vai contar também com Flávio Venturini começa daqui a dois meses, no Chevrolet Hall

RENATA MEDEIROS
As músicas do trio Sá, Rodrix e Guarabyra e do grupo 14 Bis e de Flávio Venturini seduziram os jovens dos anos 1970 e, ainda hoje, são grande sucesso. "Espanhola", "Caçador de mim", "Todo Azul do Mar" são algumas famosas melodias desses artistas, que, apesar de longa convivência e parcerias em composições, somente agora, em 2008, estarão todos juntos em um palco.

Esse inédito espetáculo vai acontecer primeiramente em Belo Horizonte, no dia 30 de maio, no Chevrolet Hall, e depois em todo o Brasil. Há dois meses do encontro, os artistas se encontraram em Belo Horizonte para uma entrevista coletiva, na última sexta-feira, quando falaram sobre esse grande projeto.

A iniciativa de unir Magrão, Vermelho, Hely e Cláudio Venturini (14 Bis); Sá, Rodrix e Guarabyra; e Flávio Venturini (ex-vocalista do 14 Bis) partiu de dois produtores artísticos: Carlos Alberto Xaulim, da Cardoro Eventos, e Gegê Lara, da GL Produções. O objetivo deles é "oferecer música de boa qualidade", como afirma Gegê:

"A idéia é ao mesmo tempo de produtor e de fã. Vamos colocar juntos os sucessos e fazer um show bem diferente. Começamos no dia 30 de maio aqui e depois rodamos o Brasil". Belo Horizonte foi escolhida para ser o ponto de partida da turnê porque a maioria dos artistas são mineiros e, os que não são, já adotaram a cidade como segundo lar.

Para Sá, parceiro de Rodrix e Guarabyra, o convite para tocar pela primeira vez com seus amigos foi algo inesperado. "Confesso que fiquei surpreso. O fantástico não é esse show acontecer, mas, sim, ninguém ter tido essa idéia antes", brinca. De acordo com os músicos, ainda é cedo para dizer se o fruto desses shows realizados pode se transformar em CDs e DVDs. Para eles, o momento é ainda de amadurecimento do projeto.

Cláudio Venturini, porém, está bastante otimista. Ele conta que há cerca de cinco anos o mesmo aconteceu com 14 Bis e o Boca Livre. Depois de vários shows juntos, foi hora de gravar o primeiro CD mostrando a parceria das duas bandas.

"Acredito que as gravadoras vão se interessar. É algo novo e as expectativas são grandes. Sempre tocamos uns com os outros, mas nunca todos juntos. O Flávio tocando novamente com o 14 Bis é algo muito esperado pelos fãs. Essa receita tem tudo para dar certo, comenta".


--------------------------------------------------------------------------------

Repertório terá parcerias de sucesso e inéditas


De acordo com Flávio Venturini será muito difícil escolher o repertório dos shows, uma vez que cada banda possui de 200 a 400 músicas. Porém, ele diz que será dada a preferência a músicas feitas em parceria entre eles. E não são poucas. “Caçador de Mim”, por exemplo, é de Magrão e Sá.

“Espanhola” é de Flávio e Guarabyra. E “Dias Melhores Virão” é de Sá e de Cláudio Venturini. Flávio diz ainda que, além das antigas, os fãs podem esperar também por novidades. Sá concorda com o colega e diz que essa é uma ótima oportunidade para que as bandas mostrem o que há de novo.

“Querem sempre que eu regrave “Caçador de mim”, “Espanhola”. As pessoas às vezes se esquecem de que temos ainda mais o que mostrar. Continuamos a fazer coisa nova e queremos que o público veja isso”, afirma Sá. Enquanto esperam a data do primeiro evento, os artistas contam sobre os projetos em que estão envolvidos no momento.

Sá, Rodrix e Guarabyra começam a gravar o disco novo em abril. Há sete anos sem gravar, eles prometem novidades para o CD que será lançado em setembro. Já O 14 Bis lança quatro músicas inéditas. Duas delas serão colocadas no próximo CD da banda e as outras os fãs podem baixá-las gratuitamente pela Internet.

Em carreira solo, Flávio Venturini conta que está atuando na produção de seu novo DVD, que ainda está em fase de criação. Quanto aos ingressos, esses começam a ser vendidos a partir do dia 30 deste mês, mas a produção não soube precisar valores e horário do show. (RM)

JORNAL O TEMPO - BH / MG

Publicado em: 18/03/2008

Luiz Carlos Sá X O Terço/ 14 Bis / Venturini ( composições)

Ainda no clima do encontro (ansiosamente aguardado pelos fãs) aí vai um levantamento das composições de Luiz Carlos Sá em parceria diversas, que foram gravadas pelo TERÇO, 14 BIS ou Venturini.




O Terço
Criaturas da Noite
Luiz Carlos Sá - Venturini
LP/CD Criaturas da Noite
1975

O Terço
Casa Encantada
Luiz Carlos Sá - Venturini
LP/CD Casa Encantada
1976

O Terço
Vôo da Fenix
Luiz Carlos Sá - Venturini
LP/CD Casa Encantada
1976

O Terço
Pássaro
Luiz Carlos Sá - Guarabyra
LP/CD Casa Encantada
1976

14 Bis
Meio-dia
Luiz Carlos Sá e Vermelho
LP/CD 14 Bis
1979

14 Bis
Caçador de mim
Luiz Carlos Sá-Sergio Magrão
LP/CD 14 Bis II
1980

14 Bis
Doce loucura
Sergio Magrão - Vermelho - Luiz Carlos Sá
LP/CD Espelho das Aguas
1981

14 Bis
Pele de verão
Luiz Carlos Sá - Venturini
LP/CD Além Paraíso
1982

14 Bis
Sem final feliz
Luiz Carlos Sá - Cláudio Venturini
CD Quatro por Quatro
1992

F. Venturini
Figura rara
Luiz Carlos Sá - Venturini
CD Flávio Venturini ao Vivo
1992

14 Bis
Máscara convencional
Luiz Carlos Sá - Sergio Magrão
CD Quatro por Quatro
1992

14 Bis
Tudo Céu
Luiz Carlos Sá - Vermelho
CD 14 Bis acústico
1998

14 Bis
Dias Melhores Virão
Cláudio Venturini/Luiz Carlos Sá
CD Outros Planos
2004

14 Bis
Quando é Fácil se Dizer...
Hely Rodrigues/Luiz Carlos Sá
CD Outros Planos
2004

O Terço
Prazer e Fé
Luiz Carlos Sá - Ivaldo Moreira
CD Compositores
2004

domingo, 16 de março de 2008

Sá, Rodrix & Guarabyra no Festival de Verão de Pedro Leopoldo - show do dia 14 de março

Vídeo do Marcelo Sander com os principais momentos do show que foi o grande show desse Festival! O público, grande, ocupava cada cantinho do local da apresentação, irmanados na mesma energia "sá-rodrix-guarabyriana". Momentos inesquecíveis!


sábado, 15 de março de 2008

14 Bis, Venturini & Sá, Rodrix & Guarabyra JUNTOS, AO VIVO!

Coletiva de Imprensa sobre o novo projeto reunindo os cults, dia 30 de maio em Belo Horizonte, MG!



sexta-feira, 14 de março de 2008

quinta-feira, 13 de março de 2008

Notinhas Prontas pra Consumo


Como surgiu este nome?

"O que te faz mal já ficou para trás/ só precisas mesmo jogar tuas lembranças do futuro ao mar." Os versos são da canção Lembranças do Futuro, da dupla Sá & Guarabyra, que batiza uma rua no Conjunto Habitacional Águia de Haia, em Itaquera. A bela composição homenageia a poeta Ana Cristina Cesar e foi baseada num poema da escritora americana Emily Dickinson. Além dela, outras músicas brasileiras dão nome às ruas do conjunto, como Cores Vivas, de Gilberto Gil, e Lumiar, de Beto Guedes e Ronaldo Bastos.

******************************************************

Zé Rodrix será um dos artistas que substituirão Ronnie Von no seu programa TODO SEU, na Rede Gazeta, enquanto durar seu afastamento por motivos de saúde. Ronnie Von retirou um pólipo nas cordas vocais o que demanda uma tranquila recuperação e reeducação vocal! Boa sorte para ele e boa sorte para nós, fãs, que teremos o Zé explorando um novo aspecto da sua carreira!!

Zé Rodrix estará apresentando o programa nessa segunda feira , dia 17 de março, apresentando Tavito em 2 blocos do programa!

*****************************************************


Amanhã: Sá, Rodrix & Guarabyra em Pedro Leopoldo, MG

Ingressos : R$ 10,00

Local: Almoxarifado - Rua Maurício Azevedo, 4 - Centro

21 hrs

*******************************

Pronta pra Consumo é o nome de uma canção de Guttemberg Guarabyra e Sidney Miller

terça-feira, 11 de março de 2008

Zé Rodrix & Tavito em Pedro Leopoldo / MG - dia 10/3


Perfeita a assessoria de comunicação do Festival de Verão de Pedro Leopoldo: já prevendo a falta de cobertura da grande mídia, prontamente disponibilizaram no site um filminho da apresentação bem como um pequeno resumo do que aconteceu ontem à noite, bem como fotos da tarde de autógrafos e da apresentação, abortada por um corte de luz acontecido lá pela 5ª canção! Fato que foi lastimado por todos, público e organização!

Na foto Zé Rodrix autografa seus livros da TRILOGIA DO TEMPLO.





Fotos de Marcelo Sander
Filme : Divulgação do Festival de Verão de Pedro Leopoldo

sexta-feira, 7 de março de 2008

Guttemberg Guarabyra




Guttemberg Nery Guarabyra Filho nasceu em Barra do Rio Grande, a 20 de novembro de 1947, mas logo mudou-se para Bom Jesus da Lapa. Filho de Pastor Batista, o caçula de uma família missionária de 5 irmãos ( 4 homens e 1 mulher) cresceu ouvindo Luiz Gonzaga no rádio.
Guarabyra na adolescência - aprendiz de fotógrafo em Bom Jesus da Lapa

Mudou-se em 1966 para o Rio de Janeiro, onde trabalhou como boy de escritório de contabilidade. Cantou com Luís Carlos Sá e Sidney Miller na inauguração do Teatro Casa Grande, no Rio de Janeiro, em 1967. Voltou para a Bahia logo após, realizando shows no interior. Em fins de 1967, de novo no Rio de Janeiro, venceu a parte nacional do II FIC, da TV Globo, com a musica Margarida, que interpretou com o grupo Manifesto (composto, além de Guarabyra, por Gracinha Leporace, Lucinha, Junaldo, Augusto César Pinheiro, José Renato Filho, Guarabyra, Guto Graça Melo, Mariozinho Rocha e Fernando Leporace)·


Guarabyra e o Grupo MANIFESTO


Em seguida, começou a produzir musicais para a TV Tupi carioca, como Bibi ao Vivo e Blota Júnior. Compôs, com Renato Correia, dos Golden Boys, e Danilo Caymmi, Casaco marrom, gravado por Evinha, vencedora do Festival de Juiz de Fora MG, em 1969. Ainda em 1969 foi convidado para a direção artística do Festival da Canção do México. No mesmo ano foi também um dos criadores da SOMBRÁS, entidade que defendia a regulamentação da lei do direito autoral
Em 1971 , Augusto Marzagão lhe convidaria para dirigir o VI FIC ( Festival Internacional da Canção), assumindo a direção artística do Festival de Juiz de Fora .
assinou contrato com a Odeon.
Formou, nessa época, com Luiz Carlos Sá e Zé Rodrix, o trio Sá, Rodrix & Guarabyra, com o qual gravou os LPs "Passado, presente e futuro"(1971) e "Terra" (1972). E juntos
se apresentaram, em julho do ano seguinte, em show no Teatro Opinião, do Rio de Janeiro, seguido de espetáculos e apresentações em televisão, em que promovia o rock-rural.
Nessa época, Sá e Guarabyra foram premiados pelo jingle, para a Pepsi-Cola, Só tem amor quem tem amor pra dar.
A partir de 1973, com o desligamento de Zé Rodrix do trio, passou a atuar em dupla com Luiz Carlos Sá, começando com dois LPs pela Odeon: Nunca, ainda em 1973, e Cadernos de viagem, em 1975.
O disco Pirão de Peixe com Pimenta, Som Livre, 1977, considerado o melhor da dupla inclui o sucesso Sobradinho, um xote moderno. O disco mistura ritmos nordestinos com o som de instrumentos elétricos. Veio em 1979 o LP Quatro, Som Livre, com destaque para Sete Marias e Vem queimando a nave louca. O disco inclui também Pássaro, novo titulo de Um cantador, composta para o disco Terra e censurada pelo regime militar. Em seu décimo aniversario, 1983, a dupla gravou 10 anos juntos, RCA, disco que inclui sucessos como Espanhola e Caçador de mim, e que marca o fim do rock-rural. A partir daí, a dupla desenvolveu um som mais urbano, como em Paraíso agora, RCA, 1984, com os sucessos Capitão da meia-noite e Cheiro mineiro de flor. No ano seguinte, foi lançado Harmonia, RCA, o disco mais popular da dupla, com Roque Santeiro, Verdades e mentiras e Dona (regravada pelo grupo Roupa Nova). Os lançamentos seguintes foram: Cartas, canções e palavras, RCA, 1987; Vamos por ai, Eldorado, 1990; Sá & Guarabyra, Eldorado, 1993; Sá & Guarabyra, Eldorado, 1994. Em 1996, a dupla fez um show no Canecão, no Rio de Janeiro, com Beto Guedes. Em 1997 foi lançado o disco Rio-Bahia, pela RGE.. Publicitário colunista e cronista da Agência Estado e cronista do jornal Diário Popular, Guarabyra lançou seu primeiro livro de ficção: “O outro lado do mundo”.
Depois de 26 anos de dupla com Luiz Carlos Sá, retomou, com a volta de Zé Rodrix, a atuação em trio, cuja reestréia aconteceu no Rock in Rio III, em 2001. O trio foi, em seguida, contratado pela gravadora Som Livre, lançando o CD e DVD "Outra vez na Estrada - ao vivo".


Constam da relação dos intérpretes de suas canções artistas como Tavito, Trio Esperança, Erasmo Carlos, Edson Montenegro, Ney Matogrosso, The Fevers, Cynara, Marisa Gata Mansa, Quarteto em Cy, Evinha, Danilo Caymmi, Golden Boys, Milton Banana Trio, Amelinha, Nilson Chaves, Roupa Nova, João Donato, Flávio Venturini, 14 Bis, Selma Reis, Agostinho dos Santos, Zizi Possi, Celly Campelo, Sérgio Reis, O Terço, Oswaldinho, Quarteto em Cy e Marcos Sabino, entre outros.

Entre seus maiores sucessos como compositor estão as canções "Mestre Jonas" e "Outra vez na estrada", ambas com Luiz Carlos Sá e Zé Rodrix, "Casaco marrom" (c/ Renato Correa e Danilo Caymmi), "Espanhola" (c/ Flávio Venturini) e “Dona” ( c/ Sá).


Discografia Solo:

Grupo Manifesto – Manifesto Musical ( 1967) Elenco / Philips LP/CD
Grupo Manifesto nº 2 ( 1968 ) Elenco /Philips LP/CD


Casaco Marrom - ( 1969 ) Odeon – LP
Lembranças do Futuro - ( 2007) Velas - CD




**********
Fontes: Dicionario Cravo Albim de MPB
Clique Music
Silvana Guimarães

Fotos: Acervo pessoal Guttemberg Guarabyra
Foto Divulgação
Foto SESC ITAQUERA - Rita

terça-feira, 4 de março de 2008

Sá, Rodrix & Guarabyra no TODO SEU ( Ronie Von ) na TV GAZETA ( 3/3)

Fotos da Marlene Alves


Resumo do programa para quem não viu, como eu, feito pela Marlene:


"Os meninos cantaram a tríade: Casa no Campo, Caçador de mim e Espanhola....Na entrevista o Zé e o Sá contaram como começou o trio que veio da dupla Zé e Sá, e do Gut que entrou no trio, enquanto dava palpites....nos ensaios dos dois...Sá contou que vão começar as gravações do novo CD em Abril e deu a agenda dos shows:
14/Março- Pedro Leopoldo

08/Maio- Taguatinga / DF

30/Maio- BH com 14 Bis e Flávio Venturini...(imagine!!!)


O Ronnie fez questão de mostrar o Tênis do Gut com uma estrela, que chamou de estrela solitária..."




domingo, 2 de março de 2008

Som Imaginário


Som Imaginário, Tavito à frente.

Banda de rock progressivo formada no início dos anos de 1970 no Rio de Janeiro por músicos mineiros, cariocas e até pernambucanos ( como Naná Vasconcellos numa formação posterior).
A Odeon deu toda a liberdade criativa - e seria um prejuízo se não fizesse isso. Cada instrumento ia para um lado, mostrando as habilidades de cada um dos músicos, num resultado harmônico totalmente vanguardista. E os integrantes… eram daquele jeito: cabeludos, doidões, hippies, pregavam a paz e o amor livre, acreditavam em um mundo melhor.

Tavito e Zé Rodrix relembram a época:
No começo da década de 70, moravam juntos, em uma espécie de comunidade com o guitarrista Marco Antônio Araújo. O trio constituía a “Família Matadouro”, devido à enorme quantidade de mocinhas arrebatadas por eles. Funcionavam como um relógio: os músicos dormiam das 6h às 10h da manhã, iam à praia, em Copacabana; voltavam da praia, normalmente com uma garota, e dormiam até as 18h. Acordavam, tomavam banho e iam para os shows, e depois seguiam para o Sachinhas, de onde só saíam às 6h da manhã. Em casa, só andavam nus. Para ter algum controle, penduravam avisos como “nesta cama é proibido trepar”. Às vezes, doidões, passavam o dia todo desenhando. E sempre esqueciam de pagar a conta de luz. Um dia, tomaram um ácido e a luz foi cortada; acenderam um lampião e ficou a família toda viajando ao som de The Band. Em outra ocasião, foram fazer turnê em BH por uma semana. Na volta, quando eles chegaram no hall do apartamento, deram de cara com uma desagradável surpresa. “Quando a gente olha, tinha vermes saindo pela porta. Uma trilha que ia até a geladeira. Tinha acabado a luz e na geladeira apodreceu bife, carne”, lembra Zé Rodrix.


Zé Rodrix no curta Nova Estrela, de José Adler

Em 1970, gravou seu primeiro disco, "Som Imaginário", destacando-se canções como "Feira moderna" (Beto Guedes e Fernando Brant) e "Hey man" (Zé Rodrix e Tavito).Ainda nesse ano, participou da gravação do disco "Milton", de Milton Nascimento.
No letreiro do teatro o nome do show era "Milton Nascimento, ah, e o Som Imaginário". O show estreou no Teatro Opinião (RJ), seguindo para o Teatro da Praia (RJ). Nessa ocasião, Laudir de Oliveira desligou-se do conjunto, sendo substituído na percussão por Naná Vasconcelos. O espetáculo seguiu para a Boate Sucata (RJ), com a participação de Frederiko na guitarra solo, e depois para o Teatro Gazeta (SP), sem a participação de Naná.
Robertinho Silva e Gal Costa


(foto acervo Robertinho Silva)

Em 1971 o conjunto lançou o LP "Som Imaginário", que incluiu "Ascenso" (Frederiko e Fernando Brant), "Cenouras" (Frederiko), "Nova estrela" (Wagner Tiso) entre outras pérolas. Ainda em 1971, acompanhou Gal Costa em show realizado pela cantora no Teatro Opinião (RJ), tendo novamente Naná Vasconcelos na percussão. Participou, ainda neste ano, do filme "Nova estrela". Ainda nesse ano Zé Rodrix se desligaria do grupo. Elis Regina gravaria no mesmo ano “Casa no campo” imortal composição do Zé e Tavito.


O Som Imaginário chegou a tocar na Globo, no programa Som Livre Exportação e acompanhou Gal Costa, que já era diva. E, no underground, viveram o desbunde carioca em sua melhor forma - conviveram com outras bandas vanguardistas da época, como o Módulo 1000, e tocaram no Festival de Guarapari, o famigerado Woodstock brasileiro.



Som Imaginário no Programa Som Livre Exportação
(Zé à esquerda e Tavito à direita)

Em 1973, gravou o LP "Matança do porco", que pra muitos é o álbum mais progressivo do grupo, contendo canções de Wagner Tiso como, "Armina" e a faixa-título, escrita originalmente para o filme "Os deuses e os mortos", de Ruy Guerra, que concorreu ao Festival de Berlim dois anos antes. Também em 1973, participou do LP "Milagre dos peixes", com Milton Nascimento, apresentado, no ano seguinte, em espetáculo gravado ao vivo e lançado em disco.

Pelo grupo passaram alguns gênios da música nacional, Wagner Tiso nos teclados; Luís Alves no baixo; Robertinho Silva na bateria; Tavito no violão; Frederyko (Fredera) na guitarra; Zé Rodrix nos teclados, voz e flauta; Laudir de Oliveira na percussão; Naná Vasconcelos na percussão; Nivaldo Ornelas no saxofone; Toninho Horta na guitarra; Noveli no baixo; Paulo Braga na bateria.

*************
Entrevista do Zé e do Tavito dada ao blog psicodeliabrasileira.wordpress.com





Para ouvir Hey Man! ( Zé Rodrix/Tavito) c/ o Som Imaginário

sábado, 1 de março de 2008

DVD do Zé Rodrix- AS CANÇÕES

Repassando msg do Zé Rodrix:

Amigos:
Dias 28 e 29 de Março, no SESC Santos, estarei gravando meu primeiro CD/DVD solo para comemorar 40 anos de oficio, ao lado da Big Bandda Associação dos Artistas. O espetraculo se chama AS CANÇÕES, e traz musicas velhas, novas e semi-novas, minhas e de muita gente a quem admiro, alem de muitos convidados: Tavito, Barbara Rodrix, a recriação do Momento4uatro, Sonekka e o DJ Ze Pedro. Conto com a presença de todos, que será registrada no folder do CD/DVD, nome por nome. Avisem a todos os amigos: será uma bela e deliciosa festa!

Zé Rodrix

****************



Ingressos já à venda:
Teatro SESC Santos
Dia(s) 28/03, 29/03
Sexta e sábado, às 21h.


R$ 20,00 [inteira]
R$ 10,00 [usuário matriculado no SESC e dependentes, +60 anos, estudantes e professores da rede pública de ensino]
R$ 5,00 [trabalhador no comércio e serviços matriculado no SESC e dependentes]